Saúde vaginal — saibam tudo sobre a infeção vaginal mais comum

Todas as mulheres em idade fértil devem proteger ao máximo a sua saúde vaginal. É verdade que existem vários tipos de infeções que podem afetá-la, mas há pelo menos uma à qual devemos estar atentas: a vaginose bacteriana.

Todas as mulheres em idade fértil devem proteger ao máximo a sua saúde vaginal. É verdade que existem vários tipos de infeções que podem afetá-la, mas há pelo menos uma à qual devemos estar atentas: a vaginose bacteriana. 

A vaginose bacteriana é muito comum, sendo que uma em cada três mulheres a desenvolve e, muitas vezes, de forma assintomática. Quer isto dizer que, apesar de esta ser uma infeção de que pouco se fala, ela pode pôr em causa a vossa saúde vaginal.

Mas sabem em que é que consiste a vaginose bacteriana? 

Saúde vaginal: sintomas da vaginose bacteriana

A vaginose é uma infeção bacteriana, na maioria dos casos pouco grave, que acontece quando o pH da vossa vagina se altera. Isso provoca desequilíbrios na microflora vaginal, levando a uma redução das ‘bactérias boas’ que, por sua vez, levam ao desenvolvimento de ‘bactérias más’. 

Apesar de ser silenciosa em cerca de 50% das mulheres, os sintomas mais habituais são:

  • ausência de inflamação;
  • corrimento vaginal anormal, aquoso e de tom branco-acinzentado;
  • odor intenso a peixe.

Outro sinal de que esta infeção pode estar a ameaçar a vossa saúde vaginal é o agravamento destes sintomas durante a menstruação e depois de relações sexuais. 

Mas atenção! Ter uma quantidade considerável de corrimento vaginal é natural, sobretudo quando estamos em idade fértil. Aliás, o objetivo do corrimento vaginal — normalmente transparente ou branco, sem cheiro e viscoso — é lubrificar e manter a vossa vagina limpa.

Saúde vaginal

Vaginose bacteriana — um risco para a saúde vaginal

São vários os riscos que podem estar associados à vaginose bacteriana, nomeadamente quando este problema não é diagnosticado e tratado. Em particular, a vaginose aumenta o risco de:

  • Desenvolver doença inflamatória pélvica (DIP) ou endometrite;
  • Contrair doenças sexualmente transmissíveis como o HIV;
  • Sofrer um aborto; 
  • Dar à luz um bebé com pouco peso;

Quanto ao tratamento da vaginose bacteriana, o vosso médico certamente recorrerá à prescrição de um gel vaginal que ajudará a restabelecer o pH da vagina. 

Em todo o caso, o primeiro passo é estarem atentas ao vosso corpo para melhor detetarem um eventual desequilíbrio deste tipo na vossa saúde vaginal. Convém também saberem que há mulheres mais propensas a desenvolver este tipo de infecção, nomeadamente aquelas que:

  • são sexualmente ativas; 
  • têm uma menstruação prolongada;
  • utilizam um dispositivo intrauterino (DIU);
  • fumam.

Se se mantiverem atentas às proteções naturais da vossa vagina será mais fácil manter a vossa saúde vaginal! Mantenham-se, pois, informadas.