Numa era marcada por progressos que nos fazem encarar a vida de forma mais aberta, os cidadãos têm acesso a mais informação que, felizmente, é cada vez menos censurada. Contudo, há ainda alguns tabus que prevalecem. Entre eles, surge a temática da sexualidade e, em particular, o tópico da dor feminina na relação sexual.

Pois é, cerca de 61% das mulheres sofre de Dispareunia ou Perturbação de Dor Genitopélvica – termos clínicos que definem a dor (constante e frequente) sentida pela mulher durante a penetração vaginal que ocorre na relação sexual.

Mas, afinal, o que é que que não nos têm dito sobre esta disfunção e como é que nós, mulheres, podemos enfrentá-la sem pudor?

Causas para a dor feminina na relação sexual

A dor associada à sexualidade feminina é mais frequente do que julgas. Contudo, para que a encares de forma desinibida é importante perceberes que ela pode ser causada por vários fatores de ordem biológica ou psicológica que devem ser discutidos.

Entre os fatores biológicos, contam-se:

  • distúrbios hormonais;
  • infeções vaginais ou urinárias;
  • enfermidades como a atrofia vaginal, a endometriose ou a Síndrome dos Ovários Poliquísticos;
  • a gravidez, o parto, o aleitamento e a menopausa.

Já entre os fatores psicológicos responsáveis por provocar – ou ampliar – essa dor incluem-se:

  • a baixa autoestima;
  • a ansiedade e/ou depressão;
  • experiências sexuais anteriores traumatizantes;
  • a desinformação e a ausência de educação sexual;

Como ter uma relação sexual livre de dor?

Encaixas-te num quadro de Dispareunia e não consegues ter uma relação sexual prazerosa? Temos uma boa notícia para ti: há várias soluções que podes explorar!

Por exemplo, quer sintas uma dor superficial (na zona da vulva) ou mais profunda (na região interna da pélvis), podes optar por dedicar um pouco mais de tempo aos preliminares, utilizar pomadas anestésicas e lubrificantes vaginais, explorar posições sexuais mais confortáveis e até fazer exercícios de relaxamento pélvico.

Além do mais, existem outros métodos capazes de aliviar a dor feminina na relação sexual, como o uso de substâncias utilizadas em procedimentos cirúrgicos, a fisioterapia para fortalecimento pélvico e a terapia sexual.

Em todo o caso, para que qualquer tratamento resulte é importante que identifiques a raiz do desconforto e, claro, que fales abertamente dele com o teu companheiro e com um profissional de saúde que te possa ajudar. 

Não te prives de uma relação sexual sem dor.                                                       

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *